Arquivo da tag: Publicações de Moda

Que tal a nova diagramação da Vogue Brasil?

Padrão

 

Com uma diagramação bem diferente do padrão a que estamos acostumados em ver nas capas da Vogue, a edição brasileira de junho/2013 da publicação trás a eterna top Gisele Bündchen em uma edição especial intitulada “Corpo’, assinada pelo incensado fotógrafo Mario Testino. No editorial principal da revista, a top exibe sua boa forma dois meses após dar à luz Vivian Lake, sua segunda filha com o esportista Tom Brady.
Resta saber se o recheio da revista também passou por mudanças na diagramação… A publicação chega às bancas na próxima quarta-feira, 20/05.

Lea T, maravilhosamente linda na capa da Elle Brasil, dezembro/2011

Padrão

A repercussão da capa da Elle Brasil deste mês de dezembro está enorme e o motivo é um só: a modelo Lea T. Sucesso aqui dentro do país e também lá fora, o que não faltam são comentários acerca de mais este trabalho da top.

Elogiadíssima, Lea T aparece na capa da Elle de dezembro, sem apelações e preconceitos quanto a sua condição sexual e  com o mesmo bom gosto e sofisticação com que todas as outras tops que são clicadas para a capa da publicação aparecem. Parabêns à nossa Elle por esta brilhante idéia!

Reflexões sobre o inverno/2011

Padrão

Editorial publicado na Vogue Japão, agosto/2011 e o clima sombrio e sexy

As edições de agosto das publicações de moda internacionais já estão começando a dar pinta pela net e nelas já é possível ter uma idéia de como vai ser tratado o inverno/2011. Separei aqui algumas das que mais me agradaram, entre as quais as Vogue Paris, Alemã e Italia.

É possível notar nessas publicações um certo ar sombrio e sexy bem colocado nas imagens. Nada a ver com apelação e excessos, mas tudo a ver com bom gosto e um excelente trabalho de styling, além do próprio clima pesado que dominou a última temporada internacional de moda, sobretudo em Paris. Ilustrando isso vale citar as coleções da Givenchy, Louis Vuitton e Miu Miu e , sobretudo as duas primeiras, nas quais eu destaco a pegada fetichista presente no jogo de mostra e esconde a partir do uso de transparências estrategicamente usadas em detalhes como vimos em alguns looks das coleções daquelas grifes. Ressalto também o aspecto austero, duro e, de certa forma, masculina, em algumas das criações  da Givenchy e Louis Vuitton.

Looks das coleções de inverno/11 da Givenchy (à esquerda) e Louis Vuitton (à direita).

Transparências e couro em um interessante e sexy jogo fetichista

Desfile da coleção de inverno/11 da Louis Vuitton em Paris

Se é verdade que a moda reflete os tempos atuais, é de se compreender o fato de ela não andar assim tão glamourosa, mesmo com o recrudescimento do comércio de artigos de luxo pós crise econômica mundial de 2008, como citam alguns estudos. Mas também, para que pensar em glamour em tempos tão conturbados como os nossos, onde ditaduras de muitas décadas estão sendo destronadas do dia para a noite no Oriente Médio e onde gênios da moda como Galliano caem em desgraça por seus excessos de auto-confiança e pileques?

Não é possível afirmar que tenha sido exatamente pelos motivos expostos acima que a última temporada foi assim tão única, apontando uma possível mudança na moda que de fato não ocorreu, tendo sido apenas sugerida pelos designers nas passarelas. Isso fica de certa forma bem clara quando nos remetemos à Balenciaga de outros tempos e suas formas estruturadas como armaduras, feitas para proteger quem as usasse das instabilidades e dúvidas que permeiam nossa realidade e imaginário na atualidade.

Editorial da Vogue Paris, agosto/2011: boas doses de austeridade e sensualidade

De forma deliciosamente irônica e até com boa dose de crítica, quem de certa forma conseguiu dar umas das mais interessantes interpretações acerca dos dias atuais foi Marc Jacobs na apresentação de sua coleção de inverno/2011. As modelos desfilando com chapéus amarrados por faixas na cabeça, a trilha sonora (Beautiful People, de Marilyn Manson) e o cenário (passarela toda espelhada com colunas alcochoadas em branco), espetacular!

Passando para Milão, se vimos uma grife de peso como a Prada desfilando todos os desejos consumistas femininos (animal prints, tons pastel, peles etc) em uma coleção delicada, cheia de frescor e naturalidade, de outro tivemos estilistas mais interessados em mostrar a dura realidade. À Prada coube a árdua, porém grata tarefa de nos fazer sonhar com um mundo a parte (thanks Miuccia!).

Editorial publicado na Vogue Italia, agosto/2011

Claudia Shiffer com ares de dominatrix em editorial da Vogue Alemã, agosto/2011

A procura por relações (nem sempre óbvias) entre a moda e a realidade é sempre uma tarefa árdua. Em tempos onde a velocidade domina tudo (até nossa forma de ver o mundo), não se deve esperar por novidades. Mais do que nunca a máxima que diz que “nada se cria e tudo se copia” tem feito sentido se aplicada a moda. Então, recriar, dar um novo enfoque àquilo que já fora desfilado em temporadas passadas continua valendo. Se o comprimento de uma saia ou de um vestido está maior agora é porque certamente esteve curto anteriormente, o que não significa dizer que houve uma necessidade imediata de se estabelecer um retorno aos looks mais comportados.

Contudo, para comprovar que nem tudo está perdido, Karl Lagerfeld conseguiu magistralmente traduzir os tempos atuais e os sentimentos. Ao levar para a passarela uma Chanel que desfilou em meio a um cenário sombrio e empoeirado, o kaiser expressou exatamente aquilo que ele afirmou: “o mundo é um lugar sombrio”. É sim monsieur Lagerfeld, o mundo é, ou melhor, tornou-se um lugar sombrio…

Imagens e vídeo: Reprodução

Vogue Italia outubro/2010: full red!

Padrão

 

A Vogue Italia deste mês apostou em um look full red para ilustrar a sua capa. As roupas são todas assinadas por Giorgio Armani para vestir a top Mariacarla Boscono, com styling assinado por Panos Yiapanis e devidamente registrada através das lentes incríveis de Steven Meisel.

É mais uma capa com poucos anúncios sobre o recheio e onde a imagem fala muito mais do que os textos, características marcantes da Vogue italiana por sinal.

Foto: Reprodução

Lara Stone para a Vogue UK novembro/2010

Padrão

Voltando a postar após um tempo parado, volto falando das publicações de moda que deverão logo logo estar à venda, entre elas a Vogue UK de novembro/2010 que tem em sua capa a top Lara Stone mostrando seus dentinhos afastados.

Como ela normalmente aparece em ensaios e editoriais pra lá de exóticos, não deixa de causar uma certa dose de surpresa em vê-la assim tão “normalzinha” na capa da Vogue britânica. em clics assinados por Alasdair McLellan.

 

 

Foto: Reprodução

Vogue Hommes Japan, setembro/2010 versão iPad. Já viu?

Padrão

Incrível! Isto é o mínimo que se pode falar da edição de setembro/2010 da Vogue Hommes Japan, certamente uma das mais conceituadas revistas de moda masculina da atualidade. E como se já não bastasse todo o peso que o nome da publicação já possui no mercado editorial, ela inovou em sua edição deste mês ao criar uma versão para iPads, iPhones e iPods touch. Para isso, as fotos foram todas produzidas apartir de gifs em stop motion, resultando em uma animação fantástica!

O diretor criativo da revista, Nichollas Formichetti, procurou explorar ao máximo os recursos da Apple e, a partir o stop motion, deu movimentos e ângulos inéditos aos editoriais com um tratamento pra lá de sofisticado nas imagens clicadas por Pierre Debusschere.

Penso que a partir da difusão já corrente do uso de tecnologias como as dos iPhones, iPads e iPods touch, trabalhos como este da Vogue Hommes Japan se tornam uma espécie de gênese para que mais produções do tipo venham a ser lançadas. Uma verdadeira inovação no mercado editorial de moda!

 

Foto: Reprodução