Arquivo da tag: Fashion Shows

Paris FW, S/S 2011: Balenciaga, Rick Owens, Anna Dello Russo, Giovana Bataglia e street style

Padrão

 

Em dia de desfile da Balenciaga há sempre a certeza de encontrar muita gente, famosa ou não, usando looks da grife e, em se tratando do estilo das top editoras de moda, não poderia deixar de ser diferente. No caso de Anna Dello Russo, ela costuma usar muitas produções em um mesmo dia para acompanhar toda a maratona fashion, sendo impossível vê-la com o mesmo look em diferentes desfiles. Para o fashion show da Balenciaga ela esteve toda produzida com roupas da marca.

 

Em seguida, para a apresentação da coleção de Rick Owens, ao lado de Giovana Bataglia da Vogue Italia, outra musa da moda internacional, deram o maior show e fizeram a alegria dos fotógrafos. Mais uma vez a produção de Anna Dello Russo foi um show à parte, usando um cinto enorme em forma de peixe, enquanto que Giovana vestiu uma parca verde militar (olha atendência militarista aí!!!) e botas em animal print.

Voltando a falar da produção de Dello Russo, eis a foto com mais detalhes do poderoso cinto que ela usou. Ela sempre causa nos desfiles, não tem jeito! Além de seu estilo pra lá de extravagante e único, seu bom humor é outra característca marcante que a torna ainda mais simpática, diferentemente de outra Anna a Wintour, sempre com a cara fechada e com a escolta de um séquito de seguranças que a acompnham para onde ela vai.

 

Fotos: Reprodução (Ana Clara Garmendia Moda Paris)

Anúncios

Paris FW, S/S 2011: Alexander McQueen

Padrão

Um recomeço pode ser bem complicado tanto quanto ter a responsabilidade de levar adiante o trabalho que uma pessoa conseguiu realizar com maestria por tantos anos. Essa foi a missão de Sarah Burton, assistente de Alexander McQueen durante 14 anos. Sarah teve a difícil, porém grata tarefa de lançar a primeira coleção após a morte do famoso estilista e assim fez em um desfile aguardadíssimo.

O cenário foi o Palais de Tokyo onde a coleção assinada por Sarah Burton pôde ser apresentada, tendo como ponto forte a alfaiataria, tão cara a McQueen.  A coleção inspirada na natureza foi percebida, por exemplo, nos vestidos de folhas negras e douradas, bem como nas borboletas que adornavam o colo de um outro modelo. A ousadia da estilista também foi muito bem vista em seu trabalho com formas rígidas, tais como armaduras sobre o corpo feminino.

As referências ao passado aristocrático, bem característico do século XVIII, também fizeram parte das inspirações da designer e pôde ser notado em detalhes tais como os rufos, os vestidos com saias volumosas e outros elementos de época. O vestido de corpo trabalhado artesanalmente e que tem a parte de baixo coberta por penas de faisão (foto abaixo) é bem representativo, além de remeter perfeitamente à genialidade de McQueen, um expert nos trabalhos manuais e acabamentos artesanais, o que faziam de suas criações peças únicas. Com esta coleção, tudo indica que Sarah soube aproveitar toda a experiência acumulada ao lado do estilista britânico e se mostrou como uma perfeita discípula da genialidade do mestre.

 

 

Fotos: Reprodução

Paris FW S/S 2011: a grandiosidade de sempre e a emoção renovada no desfile da Chanel

Padrão

A manhã de chuva que fez esta manhã (05.10) em Paris parece que só veio ajudar para deixar ainda mais especial o desfile da Chanel, pois a cor acinzentada do céu vista através das estruturas de ferro e vidro que cobrem o Grand Palais combinou perfeitamente bem com o cenário montadao para o desfile da coleção de primavera-verão/2011 da maison: um enorme jardim de pedras brancas e pretas que formavam arabescos em torno de três chafarizes. Mesmo já sendo de praxe os enormes cenários que são concebidos para os desfiles da Chanel, este certamente foi o maior já criado (como exemplos, basta lembrar da fazendinha, da gigantesca escultura em forma de leão , da coleção Pre-fall 2010 ou da calota polar se desmanchando). Para complementar a grandeza do cenário, um casting composto por 80 modelos e uma orquestra que reinterpretou músicas de artistas contemporâneos, tais como Björk e The Velvet também fizeram parte do evento.

Todo esse clima espetacular e grandioso tornou impossível apreciar o desfile da Chanel sem se deixar levar pela emoção com que o mesmo foi apresentado. Aliás, tornou-se impossível admirar a coleção da grife em separado da forma e do local como a mesma foi apresentada. A serenidade transmitida pelo cenário foi interessantemente quebrada com a entrada das primeiras duas modelos na passarela ao som da orquestra, criando uma atmosfera onde a emoção só aumentou.

Se sempre houve um quê de muito especial na concepção de Karl Lagerfeld para os temas que costuma abordar em suas criações, com a coleção de verão/2011 não foi diferente. Aquele jogo entre masculino e feminino ganhou um significado distinto: as camisas e os blazeres que poderiam vestir a um homem, vestem a mulher da Chanel, cuja feminilidade aparece como que descuidada, meio masculinizada ainda que sem perder a leveza e a sensibilidade tão femininas e que bem no fundo não se perdeu. É possível dizer que aquela imagem de mulher romântica vivendo em um cenário bucólico da coleção de verão 2010, agora tornou-se a mulher de uma realidade urbana em meio ao caos das grandes metrópoles mundiais e que precisa transparecer força e delicadeza ao mesmo tempo.

Fotos: Reprodução

Paris FW, S/S 2011: Pedro Lourenço

Padrão

 

 

Desde que vi o primeiro desfile de Pedro Lourenço durante a temporada de outono-inverno/2010-11 na semana de moda de Paris, quase que de imediato eu me vi sendo remetido ao trabalho de sua mãe (talvez sua grande motivadora/inspiradora), Glória Coelho. As formas estruturadas e futuristas, os recortes, o couro, tudo isso enfim, me trouxe à mente as criações incríveis da estilista vistas nas temporadas de verão e de inverno/2010 na SPFW. Mas a maturidade com que Pedro Lourenço conseguiu apresentar pela primeira vez uma coleção em um evento tão importante como é a Paris Fashion Week  foi, sem dúvida, um dos pontos fortíssimos que o levaram a consegiur tantos elogios da crítica especializada e hoje, fazendo parte do calendário oficial do evento, mais uma vez ele consegue mostrar que tem talento e que veio para ficar. Que assim seja!

Para a sua coleção de primavera-verão/2011 o trabalho de combinação de cores e de materiais como o couro foi primoroso. Partindo de referências um tanto quanto complexas para compor a sua coleção (a mulher de Napoleão, Josephine Bonaparte e os uniformes de baseball) o estilista procurou e conseguiu trabalhar novas formas de sensualidade, sem obviedades, redescobrindo, elegendo e mostrando outras partes do corpo feminino de maneira natural. Assim, hajam transparências, decotes, ombros e colos à mostra para alcançar tal intento. Ainda mais maduro do que em sua primeira vez e mais conhecido internacionalmente, seu desfile conseguiu atrair ainda mais a imprensa. Ao demonstrar uma visão e um gosto mais afiados, o potencial do jovem estilista Pedro Lourenço o coloca entre os novos talentos que conseguem ter em Paris a sua pista de decolagem.

Fotos: Reprodução

Paris FW, S/S 2011: Gareth Pugh

Padrão

 

Assim como ocorreu na coleção de outono-inverno/09, Gareth Pugh troca a passarela por um vídeo incrível, cheio de ocultismo, para apresentar a sua coleção de primavera-verão /2011 dentro do calendário oficial da semana de moda de Paris.

 

Vídeo: Reprodução

Milão Fashion Week, S/S 2011: a retomada do glamour pela Gucci

Padrão

Para quem poderia esperar uma coleção repleta de looks clássicos e em tons neutros, se enganou… Frida Giannini surpreendeu a todos quando Raquel Zimmermann abriu o desfile da Gucci usando um blazer laranja, blusa violeta, calça verde e cinto de corda dourado (foto acima), declarando que uma coleção cheia de glamour estava por vir. “O glamou está de volta a Gucci“, declarou Nicole Phelps, para o Style.com.

Por falar em surpeender, esta parece ter sido, sem dúvida, a grande intenção da designer Frida Giannini que, pela cartela de cores ousadas, buscou inspiração nos trabalhos fotográficos do final da década de setenta de Guy Bourdin, David Balley e Chris von Wangenheim.

Maravilhosos também os looks da parte final do desfile, na verdade os dois vestidos com pegada étnica e franjas, misturando plumas e dourado (fotos abaixo), revelando todo o primor desta coleção que iniciou (e muito bem!) a semana de moda de Milão.

Ah! Vale à pena ficar de olho em pelo menos duas tendências muito bem apresentadas no desfile da Gucci: o cinto de corda e as franjas…

 

Fotos: Reprodução

NY Fashion Week S/S 2011: o colorido menswear de Tommy Hilfiger

Padrão

Dando um tempo nos tons terrosos da coleção de Nicholas K e na monocromia branca vista em algumas coleções já apresentadas na NY Fashion Week nos últimos dias, chegou a vez das cores, que têm tudo a ver com a temporada de verão.

Falar de cores quando se trata de looks para homens é sempre interessante e perigoso de uma certa forma, afinal, como o guarda-roupas masculino costuma ser sóbrio e com pouca variação, apostar nas cores é mais que válido e moderno.

Entre as grifes que apresentaram criações masculinas, uma das que mais me chamou a atenção foi a de Tommy Hilfiger. Com uma cartela de cores bem variadas a marca levou para a sua passarela looks masculinos onde  o colorido, combinado a cores neutras, foi o ponto central participando da composição de ótimas peças em alfaitaria com corte e caimento impecáveis! Já está entre os meus favoritos!

 

Fotos: Reprodução