Para pensar: modelos adolescentes nas passarelas pode?

Padrão

A discussão sobre a carreira de modelo é um assunto delicado e que vira e mexe está em pauta. Além de ser uma profissão onde a rotatividade é enorme (a top de hoje pode não mais o ser amanhã etc) é uma profissão onde as meninas começam com 15 anos e, ao chegar perto dos 30, se não tiverem uma carreira bem administrada, precisam voltar seus focos para outras atividades.

E ao pensar que uma menina de 15 anos (para muitos uma criança ainda), consiga percorrer o sonho das passarelas, existem sacríficos que se mostram quase que obrigatórios: os estudos ficam para segundo plano, a adolescência passa sem ser aproveitada e, o mais grave, a saúde é maltratada na busca quase insana por uma aparência magra, cool para os padrões da indústria da moda. O que a maioria delas não sabe é que a profissão não é só glamour. Os salários no início da carreira não são astronômicos, há muita concorrência e muitos nãos são ouvidos pelas jovens, e se a ascensão por vezes é rápida, a queda também não costuma demorar.

 

Georgia May Jagger (à esquerda) e Daria Werbowy, respectivamente nas capas da Harper´s Bazaar e Vogue Paris (fevereiro/2012) representando o sonho dourado de muitas meninas que entram na carreira de modelo.

Assim, imaginar esse cenário para uma pessoa que está com quinze anos de idade, ainda no início da adolescência, pode parecer uma realidade dura demais para ser suportada e, de fato o é. O que pode ser feito para resguardar essas jovens de tal realidade? Os limites de faixa etária para a entrada de uma modelo no mercado da moda são válidos? Essas são discussões sem dúvida atuais e necessárias, considerando, sobretudo, o mercado internacional, onde meninas de 14 anos já aparecem ao lado de veteranas disputando os flashes e as atenções nas passarelas e no concorridíssimo mercado editorial.

Sobre essa discussão, o estilista Marc Jacobs a esquentou ao colocar na passarela de sua marca, durante a Semana de Moda de Nova York, pelo menos duas modelos menores de 16 anos, idade mínima recomendada (mas não obrigatória) pelo Conselho de Designers de Moda da América (CFDA), conselho do qual o próprio Jacobs  faz parte.

Segundo o designer em declaração ao “The New York Times” sobre o seu casting, ele faz a apresentação do jeito que acha que ela deve ser feita  e não do jeito que alguém lhe diga como ela tem que ser, e continuou afirmando que se os pais das modelos estão dispostos a deixa-las participar de um desfile, ele não enxerga motivos para que elas não subam na passarela. Marc Jacobs ainda lembrou do caso dos atores mirins, cujo trabalho em televisões e publicação de suas imagens em revistas são autorizadas e perfeitamente aceitas pelos seus pais.

Ondria Hardin (à esquerda) e Thairine Garcia na passarela de Marc Jacobs.

As duas modelos em questão, que renderam as discussões levantadas por Marc Jacobs,  são a norte-americana Ondria Hardin, top da campanha de inverno 2011/12 da Prada, e a brasileira Thairine Garcia, ambas de 14 anos. De acordo com o “The New York Times”, a Ford, agência que representa as duas tops, divulgou um comunicado afirmando que  as questões relativas à idade e à maturidade das modelos são levadas muito a sério, sendo que cada caso é trabalhado individualmente junto aos pais das meninas, para determinar se elas estão ou não prontas para a passarela. Será que tais pontos são tão cuidadosamente pensados mesmo?

Por aqui, nas duas semanas do calendário oficial da moda brasileira, o SPFW e o Fashion Rio, não é permitida a atuação de modelos menores de 16 anos. A Luminosidade, empresa por trás dos dois eventos, mesmo não sendo responsável pela contratação das modelos – o que é feito pelos estilistas diretamente com as agências — assinou em 2007 um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com o Ministério Público se comprometendo a permitir a participação somente de modelos profissionais com idade igual ou superior a 16 anos.

Como disse no início deste post costuma ser recorrente. Prefiro não emitir minha opinião acerca do assunto. Há vários vieses envolvidos nessa questão e que precisam ser devidamente considerados. Mas e você, qual a sua opinião? Apenas a permissão dos pais é suficiente para uma menina de 14 anos? Que outras questões deveriam ser levadas em consideração?

Fotos: Reprodução

Sobre L. Borges

Blogueiro ligado em moda e estilo e jornalista nas horas vagas (RSSSSS). A idéia de criar e manter um blog de moda, O "The Fashion View" remete a um projeto da época do curso de jornalismo na faculdade de comunicação social e através dele tenho um canal através do qual posso expressar, livre e independentemente, minhas idéias e impressões acerca de diversos assuntos relacionados ao universo da MODA e que são de meu interesse. Como profissional especializado no meio, vejo e admiro a moda como uma forma incrível de comunicação não verbal que, no atual contexto da chamada pós-modernidade, tornou-se mais do que nunca capaz de revelar gostos, sensações, sexualidade, atitude, personalidade, poder, enfim, a nossa própria identidade, afinal, quem foi que disse que moda diz respeito apenas a roupas e a futilidades?!?

Sua opinião é muito importante. Registre aqui o que você achou deste post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s