Prada, inverno/2011: juventude, delicadeza e naturalidade

Padrão

Como sempre acontece o desfile da Prada ocorrido hoje (24.02) em Milão, foi mais uma vez um daqueles acontecimentos que todos querem ver e opinar em primeira mão sobre ele. Além disso, foi também (mais uma vez)cercado de muita especulação por parte não só da imprensa especializada, quanto do público presente ao evento. Todos querem saber o que Miuccia vai mostrar na passarela, quais tendências e acessórios a grife deve lançar e que serão copiados ao redor do planeta fashion. É interessante como a Prada, com toda a sua tradição e poder, consegue deter a aura que lhe concedem e que a torna capaz de ser vista como a grande criadora da moda na atualidade, é como se ela tivesse o poder de ditar o que vai acontecer de fato em termos de novidade no mundo da moda, poder esse que chega a se estender, inclusive, à new face que a grife lança em uma determinada estação.

Falando em new face, a eleita da vez chama-se Colline Michaelis (a modelo é a revelação da temporada e também desfilou para a Calvin Klein em NY). Ela foi a escolhida por Miuccia para abrir o desfile. Com aparência bem jovial, assim como as demais tops do casting, Colline conseguiu transparecer exatamente aquilo que esta coleção da Prada me parece ter pretendido expressar: juventude, delicadeza e naturalidade. Os looks vieram mais comerciais, em geral com cores leves, comprimento acima dos joelhos e sem aquele aspecto de estranhamento que costuma envolver as roupas desfiladas pela marca. Mais uma grande sacada de Miuccia que como uma impecável pensadora acerca da moda, jamais nos apresenta propostas fáceis de serem compreendidas, pois ela sempre nos convida a ir mais fundo em nossas análises sobre o que vem a ser a moda atual e sobre quais caminhos ela está trilhando (ou pretende trilhar). Mesmo aquilo que em um primeiro olhar pode parecer feio, acaba tendo a sua beleza revelada em nuances e detalhes nem sempre fáceis de serem percebidos.

Interessante também neste desfile, foi a forma como as modelos carregaram as bolsas: bem junto ao corpo, assim como as mulheres das grandes metrópoles da atualidade, preocupadas com os horários, o trabalho e a violência (por que não?) costumam andar. A mulher Prada reflete, claro, aquilo que se vê no mundo real.

  

  

  

Fotos: Reprodução

Sobre L. Borges

Blogueiro ligado em moda e estilo e jornalista nas horas vagas (RSSSSS). A idéia de criar e manter um blog de moda, O "The Fashion View" remete a um projeto da época do curso de jornalismo na faculdade de comunicação social e através dele tenho um canal através do qual posso expressar, livre e independentemente, minhas idéias e impressões acerca de diversos assuntos relacionados ao universo da MODA e que são de meu interesse. Como profissional especializado no meio, vejo e admiro a moda como uma forma incrível de comunicação não verbal que, no atual contexto da chamada pós-modernidade, tornou-se mais do que nunca capaz de revelar gostos, sensações, sexualidade, atitude, personalidade, poder, enfim, a nossa própria identidade, afinal, quem foi que disse que moda diz respeito apenas a roupas e a futilidades?!?

»

  1. Pingback: Reflexões sobre o inverno/2011 « :: The Fashion View ::

  2. Pingback: Prada e as bolsas carregadas junto ao corpo « :: The Fashion View ::

Sua opinião é muito importante. Registre aqui o que você achou deste post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s