Kate Moss sob os enfoques da Vogue US e Vogue Paris

Padrão

katemoss kate_moss_vogue-2008-capa

Kate Moss na capa da Vogue Paris (outubro/09) e Vogue US (agosto/09)

 

É interessante perceber como as linhas editoriais de duas publicações como a das revistas Vogue ParisVogue US conseguem dar à mesma top model, Kate Moss, enfoques diferentes.

Na capa da edição de agosto/09 da Vogue US a modelo aparenta a imagem de uma mulher mais madura, leia-se de mais idade, justamente em uma edição que tratava em seu principal editorial acerca de como se parecer bem em qualquer faixa etária. Uma grande contradição com a expressão “Ageless” (algo como “sempre jovem”) estampada na capa da publicação.

Por outro lado, a Vogue Paris conseguiu explorar, e muito bem, toda a sensualidade da top, fotografando-a para a capa da sua edição de outubro/09. Se é que se pode falar em disputa entre as duas revistas, e suas respectivas editoras-chefe, a Vogue francesa pontuou alto desta vez. Carine Roitifield soube tirar muito mais proveito da idade e do sex appeal de Kate Moss, se comparada à sua colega Anna Wintour.

O caso em questão exemplifica o diferencial existente entre o trabalho dessas duas super editoras e, se é possível e válido traçar um paralelo entre ambas, o pessoal da Oficina de Estilo soube maravilhosamente bem como fazê-lo, conforme segue:

A Carine Roitifield é mais jovem, mais moderna, mais ousada e mais sexy – a Vogue Paris também é tudo isso porque é mointo a cara da sua editora. A Anna Wintour é mais tradicional, mais clássica, se arrisca menos e é mais classuda, mais elegante – e a revista que ela comanda, a Vogue América, também tem essa cara certinha, mas chique. A Vogue Paris é inovadora, é provocadora, tem um projeto gráfico todo não linear, quase maluco. A Vogue América é politicamente correta, não dá chance pra ser criticada, é mais conservadora. Carine põe nas capas da VParis modelas magérrimas, peles e cigarros. Dona Wintour põe atrizes de Hollywood (ninguém mointo magra pra não reclamarem das questões de distúrbios alimentares e tals), com mointa jóia que a mulher-vogue-américa é rica“. Comparação perfeita, não?

 

Fotos: Reprodução

Sobre L. Borges

Blogueiro ligado em moda e estilo e jornalista nas horas vagas (RSSSSS). A idéia de criar e manter um blog de moda, O "The Fashion View" remete a um projeto da época do curso de jornalismo na faculdade de comunicação social e através dele tenho um canal através do qual posso expressar, livre e independentemente, minhas idéias e impressões acerca de diversos assuntos relacionados ao universo da MODA e que são de meu interesse. Como profissional especializado no meio, vejo e admiro a moda como uma forma incrível de comunicação não verbal que, no atual contexto da chamada pós-modernidade, tornou-se mais do que nunca capaz de revelar gostos, sensações, sexualidade, atitude, personalidade, poder, enfim, a nossa própria identidade, afinal, quem foi que disse que moda diz respeito apenas a roupas e a futilidades?!?

Sua opinião é muito importante. Registre aqui o que você achou deste post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s